Mestre Irineu - Lourdes Carioca

WWW.MESTREIRINEU.ORG

 

Havia os que falavam mal, muito mal do Mestre. Por ignorância, ou por maldade. Mas falavam sem saber, porque o Mestre era a bondade em pessoa, um homem que nunca fez mal a ninguém, só sabia ajudar os que precisavam, os que batiam na casa dele. Mas até por isso mesmo, tinham os que falavam mal, que chamavam ele de agitador. Falavam que ele usava o daime para fazer trabalho contra as pessoas, para mandar e desmandar nelas. Porque muitos não entendiam como aquele homem, tão simples que ele era, tinha aquele poder, que ia juntando as pessoas em volta dele. Porque, quando ele falava, todo mundo parava para escutar. E o que ele dizia a gente seguia mesmo, porque sabia que era uma orientação certa. E aí, falavam mal dele às vezes até por inveja, tinha gente que não gostava dele. Como foi o caso daquele Tenente Costa que quis botar o Mestre na cadeia.


Francisco Ferreira coordenava a ligação dos trabalhos com a sede do Círculo em São Paulo. Passou a realizar encontros todas as segundas feiras e todos os dias 27 de cada mês, onde reunia maior número de seguidores em sessões semelhantes às de concentração. Tomávamos daime e nos concentrávamos por uma hora e meia. Quando vinha chegando o afluído, compadre Luiz Mendes lia a Oração de Consagração do Aposento e em seguida, executávamos os cânticos dos hinos espirituais e esotéricos. Aquilo mexia com o coração da gente. Fora da sessão dos dias 27, nas reuniões de todas as segundas-feiras líamos as Revistas do Pensamento, as orações do iniciado; enfim, elevávamos o nosso pensamento como determinava a Ordem.


O encosto é assim, quando a pessoa está influenciada por linhas inferiores, a pessoa muda de repente, passa a ficar quieta, como se estivesse em outro mundo, desligada de tudo, de sua vida, alheia às coisas. Depende do caso, tem uns que ficam muito doidos, gritam, correm, xingam, um horror! Eu já vi muito caso feio mesmo. São seres inferiores que se incorporam em algumas pessoas. O trabalho de mesa a gente faz pra esses casos, para espantar essas coisas ruins, esses espíritos malignos.